segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Reencontro


Quem tá aí? É você, vô? Quer me dizer alguma coisa?
Que bom que você ta aqui, eu tava com muita saudade. Quanto tempo agente não se vê, não é? Cinco meses, isso mesmo.
Você ta bem? Ficou bem todo esse tempo? Aconteceu tanta coisa, vô, mas tanta coisa, que numa conversa só não daria pra te contar.
Diz alguma coisa, nunca te vi tão calado assim.
Ah, já sei! Você deve ter vindo pra contar que vai voltar, que tudo não passou de uma brincadeira de mau gosto, essas brincadeiras de mau gosto que nascem da inocência de um impulso e tomam dimensões inesperadas, né? Pode falar que você voltou pra ficar, eu não vou brigar com você, muito menos deixar que alguém brigue.
Vai lá, vô, diz alguma coisa! Quer que eu converse com todo mundo por você? Quer que eu explique seus motivos? Eu te entendo. Pensei em fazer coisas assim já, são momentos de carência, é normal do ser humano. Eu sempre vou te entender!
Eita, vô! Nunca te vi tão quieto. Alguma aflição? Diz pra mim, é tua moça bonita que ta aqui, que sempre esteve. Não fica com medo não! Tudo que eu mais esperei nos últimos tempos foi essa sua chegada. Eu sabia que tudo era só sonho, desde o começo. Sabia que você voltaria, vô. Sempre soube.
Tenho tanta coisa pra te contar, agora que você voltou. Minha vida, meus amores... Posso te contar dos meus amores, né? Promete sentir bastante ciúme? Quero também te contar meus ideais, acho que nisso eu puxei você, Petrô. Vô, eu nunca deitei no seu colo, posso fazer isso hoje? Depois te encher de cafuné e dizer que você é a minha fonte de alegria? Posso, vô? Acena com a cabeça um sim ou um não.
Você gosta de filmes? Acho que não, né? Pois você não sabe o bem que eles têm me feito. Ai, vô, acho essa vida tão difícil! Vinte anos e ainda não consegui me adaptar direito. Como é que você consegue estar tão bem depois dos cem?
Sabe, você sempre foi a pessoa que eu mais admirei nessa vida. Você e a madrinha, a “Lili”. Faria tanto por vocês, se tivesse a garra que vocês têm. Mas pelo contrário, vocês é que sempre cuidaram de mim, né? Acabei me acostumando. Foi disso que você veio me falar, vô? Da madrinha? O padrinho ta internado, te contaram? Pois é. Difícil essa vida!
Mas ela fica mais fácil com você por perto, vô. Fica mais feliz! Quero um dia aprender a ver o mundo como você faz, quero sim! Ah, vô, nem acredito que você ta aqui, que você voltou. É tão bom quando agente sabe que tem razão, né? Você adora ter razão em tudo, que eu sei! Acho até que também nisso puxei pra você.
Ei, vô, não vai mesmo dizer nada? Tem dias que eu fico assim também, quieta. Sua neta pergunta o dia todo que é que eu tenho, se eu to de TPM, mas não é nada, não. Só preguiça de falar mesmo, né? Mas é que vindo do Petrô é de se estranhar... Hahaha.
Vô? Aonde você vai? Volta aqui, vô! Não vai agora não, ta cedo. Senta aqui comigo, vou passar um café pra você. Eu sei fazer café, sabia? Vô? Vem cá, vem, tem tanta coisa que eu havia deixado pra trás, não quero fazer isso denovo não. Vô? Vô? Você não ta me ouvindo? Volta, vô, eu não to conseguindo gritar. Tem um nó aqui na garganta que não ta deixando...

12 comentários:

  1. Gostei do que voce escreveu
    seu teu fa

    ResponderExcluir
  2. Opa i ai beleza? Tipo eu vi seu blog em uma comunidade e resolvi da uma olhadinha,
    tenho uma dica para vc melhorar seu blog, porque tu não passa ele para um dominio profissional gratis
    o google indexa mais rapido e vc ganha muit mais visitas e parceiros, tenho um tutorial aqui si quiser
    da uma olhadinha: http://www.artilhariadigital.com/2009/11/tutorial-configurando-um-dominio-cocc.html

    to com uma promoção no meu blog que tbm vai dar 3 dominios profissionais um .com outro .net e um .org
    da uma olhada:
    http://www.artilhariadigital.com/2010/02/ganhe-um-dominio-profissional-com-ou.html

    ResponderExcluir
  3. Mandou muuuuuito! Amei amei amei *-*

    www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Que aperto...
    Quando quem a gente gosta parte,é muito complicado.
    Idealizo alguns reencontros, onde digo tudo que não disse, e amo como se soubesse que não é mais possível.
    Você tem um talento muito grande pra retratar sentimentos tão sublimes.
    Parabéns menina!

    ResponderExcluir
  5. Ai... me deu um aperto aqui dentro.
    Também sinto saudades do meu avô. Ele se foi ano passado.
    Lindo texto!

    =*

    ResponderExcluir
  6. Triste e bonito, tudo no ponto certo.
    Muito bom!

    ResponderExcluir
  7. Sem palavras, além de ser linda escreve muito bem!

    Você tem um dom!
    Parabens!

    ResponderExcluir
  8. Pois é bom falar com o vovô...eu infelizmente
    quase não lembro dos meus. Gostei do seu
    blogue.Beijinhos/Irene

    ResponderExcluir
  9. Nossa..lindo esse texto..Minha vó morreu há 3 anos e até hoje ainda me dá vontade de conversar com ela e pedir perdão por todos os meus erros..=,(
    Adoreei seu blog e mais ainda seu texto..Lindíssimos!!

    ResponderExcluir
  10. Que leitura.... inesperada oO'
    Gostei muito, apesar do tom melancólico, que, na verdade, não é oposição à beleza dessas palavras. ^^'

    Saudade daquela meia hora noturna de férias gasta com coisas bobas e com tv.
    Eu preciso de mais coisas bobas, afinal! =]

    bjo grande =***

    ResponderExcluir
  11. Ahh. Avisa qdo vc for matar aula! uaeheau

    ResponderExcluir